Você sabe o que o Mercado Livre e a Dell tem em comum?

Conheça as 5 práticas de gestão de pessoas aplicadas por essas gigantes que fazem toda a diferença nos resultados.

Você sabe o que o Mercado Livre e a Dell tem em comum? Não? Ficou curioso (a)? Então acompanha este artigo até o final para descobrir!

Além de serem multinacionais amplamente conhecidas ao redor do mundo e faturar milhões, essas duas empresas possuem algo em comum escondido por trás desse sucesso todo: Ambas as empresas estão se destacando no cenário mundial pela forma como conduzem a gestão de pessoas dentro da organização.

Neste ano de 2019, o Mercado livre com seus 6.856 funcionários,  conquistou a façanha de encabeçar a lista das melhores empresas para se trabalhar entre as multinacionais.

A empresa ficou entre as 25 organizações com os melhores ambientes de trabalho no ranking nacional das empresas localizadas na América Latina,  de acordo com a classificação feita pela autoridade global no mundo do trabalho Greate Place to Work (GPTW).

O Mercado Livre ficou em segundo lugar, bem atrás da gigante dos transportes DHL. Entre os critérios levados em consideração pela Greate Place to Work (GPTW), está o clima organizacional da empresa. Este que é o resultado obtido pela forma como a empresa trata dos colaboradores e pelas relações interpessoais dentro do trabalho.

Não muito abaixo dela ficou a Dell com seus 5.627 colaboradores, a empresa ocupou a 4ª posição no ranking das melhores empresas para se trabalhar na América Latina.  Acompanhe a colocação das empresas no ranking na imagem abaixo.

Ranking GPTW

Site do GPTW

Toda a repercussão do resultado deste reconhecimento,  levanta questionamentos sobre o que o Mercado Livre e Dell tem em comum, que contribui para conseguir ter um crescimento tão acelerado em faturamento, mercado e número de funcionários ao longo do tempo.

Algumas práticas contribuem para que isso aconteça e faça com que os colaboradores sintam-se cada vez mais motivados a contribuir para a expansão dos resultados destas corporações. Neste artigo destaco algumas práticas comuns entre estas gigantes. Acompanhe:

1. Investimento em um ambiente leve e descontraído

Ambas as empresas citadas: O Mercado Livre e a Dell, levam muito a sério o fato de que os colaboradores no geral passam boa parte do seu tempo dentro da organização, mais ainda do que passam em casa. Dessa forma, buscam oferecer dentro da empresa algumas comodidades fazendo com que a força de trabalho sinta-se muito mais confortável dentro do ambiente de trabalho.

Todo este investimento tem um objetivo muito claro: incentivar o desenvolvimento de novas ideias  e a  interação entre as partes.

A sede do Mercado Livre no Brasil fica localizada na cidade de São Paulo e possui uma mega estrutura com 33.000 metros quadrados. No local é possível encontrar academia, refeitório, atendimento bancário, manicure, áreas de lazer e 140 salas de reunião.

Isso faz com que o ambiente seja chamado de Melicidade, que faz referência a sigla da empresa na Bolsa de Valores.

Já a Dell investe em um  espaço de trabalho que facilite a interação e comunicação entre as pessoas,  chamado por eles  Connected Workplace (espaço de trabalho conectado) para criar um ambiente de trabalho altamente móvel, cooperativo e flexível.

A Dell também utiliza a prática do  Employee Resource Groups (ERGs, Grupos de Recursos para Funcionários). Todos os membros de equipe podem se juntar aos 11 ERGs para conversar, desenvolver habilidades e contribuir com a comunidade (segundo informações extraídas do próprio site da empresa).

2. Flexibilidade de local de trabalho e horários

Estas grandes corporações já aposentaram o relógio de ponto em sua forma tradicional como conhecemos, ou pelo menos encontraram formas alternativas de verificar e comprovar o cumprimento da carga horária por parte dos colaboradores.

A cultura do Home Office ou trabalho remoto já é uma constante dentro dessas organizações.

No Mercado Livre por exemplo, o estacionamento só é disponibilizado para os funcionários por quatro dias na semana, pois a empresa entende que o colaborador irá trabalhar pelo menos um dia da semana remotamente.

A empresa entende que desde que o colaborador cumpra com a sua jornada e alcance as metas estabelecidas, não é necessário que o mesmo trabalhe apenas da sua mesa no escritório da empresa.

A Dell segue esta mesma tendência já há alguns anos, a empresa incentiva o equilíbrio entre vida pessoal e profissional. Para controlar o trabalho extra escritório a empresa investe em ferramentas de controle que ajudam a gerir melhor os trabalhos remotos.

3. Diversidade cultural

Outro fator amplamente difundido e apoiado por ambas as empresas é o apoio a diversidade cultural e de gênero entre as equipes.

Em ambas as empresas existem programas de multidisciplinaridade das equipes, incentivando a contratação de pessoas de diferentes gêneros, raças, crenças e opções sexuais, fazendo com que os membros da equipe interajam entre si independente das diferenças. Aliás a diversidade é considerada um fator primordial dentro destas empresas.

As mesmas entendem que a diversidade cultural favorece a inovação e a criatividade pela junção e interação de várias formas de pensar e de ver o mundo.

A Dell faz questão de destacar no site da empresa a seguinte informação:

“Uma das iniciativas que fazem da Dell uma empresa diferenciada na gestão de pessoas são suas ações voltadas a promover o apoio à diversidade e à inclusão. Dentro desse conceito, a Dell mantém grupos formados por profissionais que têm o objetivo de conscientizar e influenciar a organização sobre temas como tolerância e respeito à orientação sexual, inclusão de pessoas com deficiência, apoio ao desenvolvimento de mulheres e desafios dos profissionais da geração y.”

Se você quer saber mais sobre diversidade e sobre a inclusão de mulheres no ambiente de trabalho, este artigo é para você:

Conheça as principais vantagens de contratar mulheres e promovê-las a cargos de chefia

4. Incentivo à interação entre os colaboradores

Como já pôde ser evidenciado nos pontos acima, tanto o Mercado Livre quanto a Dell incentivam a interação entre os colaboradores por meio da criação de um ambiente de trabalho propício para esta atividade através de práticas como:  diversidade cultural e de gênero, flexibilidade e possibilidade de expressar a sua opinião por meio de práticas de interação entre os colaboradores.

No Mercado Livre, por exemplo, existe uma regra clara: “Competir unidos para ganhar”. Na empresa pratica-se a política de que a competição fica fora dos muros da firma. A briga deve ser sempre com o mercado, onde os colaboradores devem se superar as adversidades para cumprir com as metas.

Outra prática que é bem comum dentro do Mercado Livre é a rotação entre as funções, carinhosamente apelidado por eles de “beta contínuo”. Que é uma expressão que remete a ideia de estar sempre experimentando, melhorando  e interagindo com outras áreas para trocar experiências.

5. Cultura de foco em resultados

Pode ser que alguém possa se questionar: Mas será que é possível alcançar resultados e levar o trabalho a sério diante de tantas “comodidades”?

Para ambas as empresas e para as demais organizações que adotam este modelo de trabalho, a regra é muito clara: O colaborador terá todas as ferramentas, comodidades e regalias, poderá trabalhar de onde quiser e quando quiser. Mas precisará estar altamente comprometido com os resultados.

As metas são altamente desafiadoras exigindo dos colaboradores, resiliência, trabalho pesado e protagonismo para que possam entregar os resultados com a qualidade exigida.

Estas empresas deixam uma grande lição para as demais organizações: Nem sempre é necessário trabalhar com modelos engessados, onde o funcionário é obrigado a cumprir horário, ser constantemente direcionado ou doutrinado a seguir por este ou aquele caminho.

Nestas corporações predomina o espírito da auto-disciplina. É fácil chegar a este nível? Particularmente eu acredito que é bastante desafiador, não é algo que possa-se implementar da noite para o dia.

É necessário muito empenho e trabalho em cultura organizacional, com ferramentas que consigam de fato mensurar os resultados e com uma gestão que de fato consiga acompanhar o desempenho do negócio.

Mas uma coisa é certa, uma vez atingido este nível de maturidade, o controle deixa de estar nas mãos dos “chefes” e passam a estar distribuído pelos membros da equipe, de forma que todos passem a entender o seu papel dentro da empresa e saibam a importância da sua contribuição para o resultado final.

E na sua empresa? Como são tratadas estas questões? Você segue um modelo mais disruptivo ou está no tradicional? Se identificou com alguma dessas práticas? Sua empresa tem práticas semelhantes às que o Mercado Livre e Dell tem em comum? Deixe aqui nos comentários a sua opinião sobre o assunto.

Se você gostou deste artigo, compartilhe com mais pessoas para contribuir para um país mais forte por meio do empreendedorismo e do estímulo às melhores práticas de gestão de pessoas. Não esqueça de deixar o seu comentário abaixo e nos acompanhar por meio das nossas redes sociais, que estão no topo desta página.

Te vejo no próximo artigo. 🙂



Author: Aparecida Amaral
Administradora de formação pela Universidade Federal de Alagoas, em 2015 recebeu a Certificação Como gerente da Qualidade pelo Quality Total Institute Latino-americano (Chile), é Avaliadora do Prêmio Estadual da Qualidade em Alagoas (ciclos 2015, 2016 e 2017). Possui Experiência na Implementação de Sistemas de Gestão da Qualidade: Modelo de Excelência da Gestão (MEG) e ISO 9001. Atua Como consultora organizacional pela Implantta Consultoria.

1 comentário

  • Lucíola

    Muito boa a reportagem! Um funcionário motivado e respeitado veste a camisa da empresa e produz excelentes frutos.

Comments are closed.